sábado, novembro 04, 2006

Cá te esperamos

Apareceste. Sem surpresa, no tempo antecipado.
Por razões que não se querem dar a explicar, mostraste-te hesitante. E deste sinais disso. Aguentaste o tempo que aguentaste, até teres decidido voltar a ser uma nuvem, de puro branco, movendo-se tranquila e docemente sob um céu de sonhos.
Uma nuvem não se apressa. E nós ficámos a saber que és tu que decides o teu tempo. Assim seja.
Cá te esperamos.
NG