segunda-feira, março 27, 2006

007 Licence to die?

Pierce Brosnan foi quase o melhor James Bond de sempre, não fora o escocês de voz cavernosa e pronúncia cerrada, Sean Connery de seu nome.
Mas ambos personificaram um Bond ao mesmo tempo desumano, que não olha a meios (leia-se mortos) para atingir os seus fins, e inumano, sobrevivendo miraculosamente a todos os perigos e ameaças, enquanto conquista todas as mulheres que lhe aparecem à frente. E tudo isto sem um único cabelo desalinhado, ou uma ruga nos seus fatos.
É este Bond que we all know and love.
O novo Bond, para além de ter pinta de trolha – não que haja algo de mal com ser trolha, mas estamos a falar do Bond, for Christ's sake! – promete, ou melhor ameaça, que o “próximo James Bond será «humano e falível»”.
“Humano”? “Falível”? Humano e falível sou eu, bacano! Por este andar, qualquer dia ainda fazem um western com cowboys gays...

NG

3 Comments:

Blogger Gabriel Al Ves said...

Muito bom.

5:08 da tarde  
Anonymous trolha said...

Por este andar "hetero" só em museu... de cera e com cognome "The special one".

7:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Keep up the good work »

4:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home