domingo, abril 09, 2006

Cavalheiros Precisam-se

E agora? O que dizer de Co Adriaanse? O que dizer do homem que devolveu o Porto às dobradinhas, com apenas dois defesas de raiz (Pepe e Pedro Emanuel), Baía no banco e Jorge Costa na Bélgica, e quatro avançados? O que dizer do homem que repreende e castiga jogadores que refilam com os árbitros e que agridem companheiros de profissão? O que dizer do homem que não comenta arbitragens e raramente se exalta no banco? O que dizer deste autêntico "Freak"?

Nós não estamos habituados a todo este romantismo no futebol. Nós não sabemos lidar com todo este cavalheirismo. Nós não percebemos este conceito de futebol e, mais do que isso, esta maneira de estar na vida, onde o passo atrás hoje, poderá significar dois bem grandes amanhã. É por todas estas razões que ainda hoje o Prof. Carlos Queiroz, Bi-Campeão Mundial por Portugal, repito, Bi-Campeão Mundial, é visto pelos habitantes deste cantinho à beira-mar plantado, como um treinador medíocre, nomeadamente por um elevado número de Sportinguistas. Os mesmos que achincalharam o treinador que numa época, os pôs a ver o melhor futebol dos últimos 50 anos de clube e que os levou a uma final da Taça UEFA.

Infelizmente o Sr. Adriaanse não vai ficar muito mais tempo no país onde, depois de um simples empate, num simples jogo de futebol, lhe tentarem partir o carro e a boca. E eu tenho muita pena que senhores como o Sr. Adriaanse não possam ficar por mais uns tempos no nosso país. Mas também não faz mal. Ficamos com os Veigas, os Vieiras, os Valentins e os Jorges Nunos. Bem bom.